Volta às aulas

Depois de muito tempo afastado de uma sala de aula, eis que faço minha enésima tentativa de emplacar no estudo, por mais preguiça que isso me cause. É uma luta interna. Id e Superego engalfinham-se vorazmente, arrancando pedaços um do outro, na tentativa de que suas vontades sejam escolhidas. O primeiro quer a todo custo curtir a vida numa boa, sem diploma, sem preocupações, enquanto o segundo anseia por conhecimento e enxerga isso numa sala de aula. Terminada a luta, Superego venceu por pontos e voltei à faculdade.
Pensem em quarenta e seis pessoas; subtraiam cinco homens. O que sobra? Siriemas esganiçadas? Carucacas ávidas por blaterar? Não. Mulheres. Nunca estive entre tantas mulheres na minha vida. E aqui antecipo um pedido de desculpas às minhas amigas leitoras, mas, pelas barbas de Cacilda Becker, como falam! Berram! Jovens, senhoras, casadas, solteiras, gordas, magras, variedade, preço baixo, Santo Deus, é mulher pra tudo quanto é lado.
Para completar, uma professora doida (se um dia ela ler meu blog, terei de editar esse texto). Já percebi que a mulher é de faca na bota e que fala pelos cotovelos. Pois, muito bem, estou a postos para viver o ápice da minha catarse nos próximos três anos.

É uma preguiça de dar dó. Quando cheguei em casa, Id, ainda esfacelado após a batalha psíquica, clamava, murmurava por descanso. Fitei aqueles olhinhos chorosos, sedentos de repouso ao meu pobre corpo ainda capengo da maratona baladeira do fim-de-semana, mas permaneci incólume em minha decisão, afinal de contas, já paguei a primeira parcela, e dinheiro não nasce em árvores (modo Salim Muchiba: off).

Aí está outro ponto positivo a favor dessa nova jornada universitária: pagarei meus próprios estudos. Ou seja, sem desperdício, sem pedir pra sair (ainda não assisti ao Tropa de Elite, mas a expressão é bastante usada), muita dedicação e um banho de imersão no maravilhoso mundo da Língua Portuguesa, sereia alva e bela, cabelos cacheados cor-de-mel, que me conquistou através do lirismo de seu canto doce e repleto de ternura. Como diria Olavinho, o Bilac, "última flor do Lácio" (que disparate, hein?).

Confesso que, após assistir à primeira aula, Id conformou-se finalmente. O auge da aula esteve por conta da técnica de integração, que me fez sentir saudades das gralhas e quero-queros lá de São Chico. E eu que pensava que os pobres bichinhos cantam alto. Dois minutos no meio daquele furdunço, e os pássaros pediriam água, sem dúvida.
É claro que, como tudo na vida, há o lado bom da história, bem como é óbvio que estou apenas satirizando minhas queridíssimas colegas. Estar rodeado de mulheres é algo que me fez sorrir com o canto da boca diversas vezes, observando a insígnia de harém que a sala tomava a cada colega que chegava.

Interessante é perceber o quanto as pessoas são apressadas, agora falando num âmbito generalizado. Em trinta minutos de aula, ouvi a palavra "estágio" uma dúzia de vezes. Tá, mas o estágio não se dá apenas no fim do curso? Macacos me mordam, nem tiveram aula ainda e já estão pensando no encerramento! E eu lá quero saber quantas horas de estágio serão necessárias cumprir? Quero mais é aula! Substantivos, advérbios, voz passiva, locução adjetiva, orações coordenadas, sufixos, radicais, biologia aplicada e, opa, biologia não. Em suma, quero aprender, absorver conhecimento, saber mais sobre a língua materna, para depois pensar em entrar numa sala de aula para lecionar.

Mas, é assim mesmo, pessoas diferentes, ideais distintos, cada um com sua maneira de ver e conduzir a vida. No fim das contas, essa acaba sendo a maior vantagem de estudar, pois surgem inúmeras amizades novas, muitas histórias de vida diferentes e uma gama de conhecimento extra-classe numa matéria que precisamos estudar todos os dias, que é a de viver. E nessa eu não quero ser reprovado.

14 comentários:

  1. Parabéns pelo retorno!!! Abraço

    ResponderExcluir
  2. Eu imagino como teve ter sido feia a briga entre a preguiça e a vontade de aprender. hehehe! Mas fiquei muito satisfeita com o resultado.

    Não é fácil estudar (eu que o diga, né), mas o resultado vale a pena. E é aquela velha história, conhecimento é algo que ninguém tira da gente!

    Ah, e tu não muda, né? Biologia Aplicada? ¬¬ Bem espertinho! hihihi!

    Beijão e boa sorte com as gralhas.

    ResponderExcluir
  3. bom eu como pessoa q estuda outro curso, mas q tem a mesma finalidade, ser prof. percebo agora a 1° semestre de distancia dos estagios, como eu qria saber como vai funcionar, qntas hras serao e tdo mais, qndo a gente ve ja acabo a facul, principalmente se sao 3 anos, la na UERGs sao tres anos, os mais sofridos da minha vida, ano q vem me formo e vo fincar com saudades da aula... dos meus colegas... aff acho q eh mais dificil sair do q entrar na facul...

    bjaooo boa sorte

    ResponderExcluir
  4. p.s. acabei de ver vc pedir para Bruna Fontana se ela te incentiva a ir num seminario de educação ambiental, antes q ela te incentive o q eh obvio ja q ela eh mto engajada nisso, eu te digo tb para ir como um reforço as belas palavras q ela te dira sobre meio ambiente, mas tb por q horas complementares sao dificeis de fazer ainda mais se a pessoa trabalha, entao qualquer oportunidade tem q ser aproveitada, alem de q conhecimento nunca eh demais..


    bjao

    ResponderExcluir
  5. Hahaha
    Ainda no começo do texto imaginei que seu curso seria algo relacionado a língua portuguesa, tipo letras, pedagogia.
    É o curso que reúne o maior número de mulheres por metro quadrado, não é o que eu estudo, mas sim o que vejo.
    E logo você, que odeia berros! Huahuahuahua, por Deus Antônio chegou a hora então de você se acostumar com isso.
    E pensando bem, não sei como reparei até mesmo antes do texto que você era da área.
    Acompanhando sua escrita extremamente clara e de bom nível.
    Beijos universitário.

    ResponderExcluir
  6. Cara, mulheres não são algo raro na Física, mas os homens são sempre maioria...

    Nas cadeiras comuns a todas as licenciaturas (psicologia da educação, filosofia da educação, poilíticas educacionais...) é sempre gritante o número de mulheres... (um dia te conto com mais detalhes que poderiam ser interpetados de uma forma equivocada se fossem publicados neste espaço tão nobre) e em algumas disciplinas o número de alunos chegava a 60 (sessenta)!

    Chegando ao ponto que interessa: estudar é muito bom, tu vai te sentir muito bem e tenho certeza de que vai se dar melhor ainda nas tarefas do curso!

    Abração, mano querido!

    ResponderExcluir
  7. pagando pelos próprios estudos?? Po, acho isso mt bacana! Eu ganho bem menos do q a minha faculdade custa.. =/
    mas vivo atras de emprego melhor, soh q tah dificil!
    afinal, vc tah fazendo letras ou pedagogia? fiquei na duvida.. Eu jah fiz um periodo de letras e realmente era bem assim como vc falou, um harém! tinham uns 7 homens numa sala de 36 alunos! auheuhauha
    imaginou?!

    ResponderExcluir
  8. Antonio, o que eu postei no meu BLOG não é uma regra.
    Você não posta de forma alguma sacanagem. Não quis generalizar, talvez meu post foi infeliz. =/
    Beijos querido.

    ResponderExcluir
  9. Eita!!! Que bom que estas de volta a sala de aula... É sempre bom, né? É cansativo, claro, principalmente pra quem passa o dia trabalhando, mas é vantajoso...
    É sempre bom aprender um pouco mais...
    Espero que continues empolgado, viu?
    E quanto as mulheres... Cuidado, elas estão dominando o mundo!!!!!! hehehehehehehehehe

    Beijão pra tu

    ResponderExcluir
  10. Estudar é sempre bom.. já penso no que fazer qdo terminar a facul, daqui 2 anos. E quanto às mulheres: aproveeeita Antonioo! hahahahah

    beeijo

    ResponderExcluir
  11. Isso bola pra frente estudar faz muito bem... Apesar de nos dar demasiado trabalho, estou aqui com saudades de estudar, faculdade ainda não dá, mais vou fazer curso tecnico vai me ajudar um pouco. Vai sentir falta do barulho da sala de aula nos fins semana. Beijoss

    ResponderExcluir
  12. Aeee...calouro!! parabéns por ter escolhido a vida de acadêmico...mas vou logo avisando...esteja preparado p/ pensar muuuuito rapido!heheh...e estude bastante!
    Que curso vc começou??

    Ahh, Educação ambiental? Minha praia!! Por favor, mande-me as informações (cidade, preço, datas) pro meu e-mail (tah lah no meu blog) que se puder eu faço esse seminário contigo...aqui em Erechim tem pouquissimos eventos nessa area e eu tbm preciso de carga horaria extra p/ concluir o meu curso!! Espero resposta.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  13. olha que desaforo...!

    rodeado por mulheres e ainda reclama. queria te ver cursando algo do tipo engenharia mecânica, onde só existem homens.

    só de pensar que eu me formo ano que vem me dá um alívio. tudo bem que é em 31/12/2009, mas não deixa de ser ano que vem


    bjo

    ResponderExcluir
  14. Ai Antônio, que sarro tudo isso. Eu acho que as turmas de qualquer curso deveriam ter mais homens sim!
    Vou fazer uma passeata em nome disso!hehe
    É uma loucura o retorno às aulas, acabei de postar sobre.
    Eu não sabia que vc fazia letras (é isso né?), boa escolha. Quando fiz vestibular minha 2ª opção era Letras, como não passei nem na primeira e nem na segunda na federal, acabei ficando por aqui e me apaixonando pela comunicação.
    Então tá né...calma aí no meio da mulherada!!! hehe
    beijão

    ResponderExcluir

<< >>