As pedras do caminho

A história começa mais ou menos como a costuma escrever:

"Ela veio sorrateira, sedutora, me assoprando os cabelos, arrepiando a nuca e fazendo cócegas. Ludibriou-me com sua voz suave e aconchegou-me em seu calor. Aliás, começou a esquentar, esquentar e esquentar. Foi quando peguei o termômetro e constatei: 38,5º. Maldita febre."

Isso, meus caros, às 17 horas de sexta-feira. Agora me digam se isso é hora de uma amigdalite chegar. O início do fim-de-semana, a abertura das portas da esperança, o pote de ouro no fim do arco-íris. Todo mundo faceiro, brindando cerveja gelada, planejando festas, e eu ali, abarrotado de cobertas, assistindo ao Globo Repórter com aquela cara de pingüim com leptospirose.
No sábado, percebi que um alien se formava na minha garganta. Mais febre, mais paracetamol e muitos, mas muitos cobertores. Minha voz foi paulatinamente sendo substituída por rosnados fanhos não-identificados, até chegar ao ponto de eu comunicar-me através de gestos com minha mãe.
Restou-me, portanto, dormir. Dormi, dormi e dormi. Cansado de tanto dormir, então, descansei. Ao mesmo tempo, minha garganta afunilava a olhos vistos, sobrando menos espaço que no Estreito de Gibraltar, o que reduziu minha dieta a iogurte e litros de Tang. Procurei me resguardar ao máximo para, quem sabe, ter alguma chance de ir ao baile marcado há mais de uma semana com amigas para o sábado à noite. Meus anticorpos, porém, me boicotaram covardemente e foram todos para a assembléia anual dos anticorpos, que acontece lá pelo estômago, sei lá, e deixaram a garganta jogada à própria sorte, mais desfigurada que qualquer um desses quadros de arte moderna.
Essa foi, sem dúvida, a dor mais latente. Estou para bailes gaudérios como a finada Dercy estava para palavrões, então imaginem a decepção de um gaúcho aprisionado dentro de casa, condenado aos caprichos sádicos do irmão viciado em Zorra Total. O opróbrio. Tornei-me o opróbrio, desolado, sorumbático e prestes à forca num pé-de-couve, ou qualquer outra folha verde.
No domingo, sinais ínfimos de melhora começaram a aparecer. Depois que todos os boêmios já descansavam em suas camas, contabilizando os níqueis que restaram da balada, só então meu organismo resolveu reagir. Pois bem, daí quem não quis melhorar fui eu. Concentrei todas as minhas vibrações negativas na garganta, bati o pé e impedi qualquer nuance de reação, o que me fez lucrar um atestado para ontem e, pelo menos, esticou meu fim-de-semana até segunda-feira, pra não dar por perdida toda essa peripécia amigdalítica, por assim dizer.
Só ontem, portanto, voltei a ser gente. Todavia, a troca do antibiótico me trouxe inóspitas dores estomacais, o que me leva a desconfiar que meus órgãos estão brincando de lutinha na região do fígado, pâncreas e adjacências. À custa disso, pelo menos minha garganta voltou a abrir, feito as margens do Mar Vermelho, obedientes ao cajado de Moisés. Já consigo, graças a Deus, engolir alimentos pastosos, porque nem só de iogurte vive o homem.

8 comentários:

  1. É primo velho, sei bem o que é isso. Fui acometido por situação similar ainda na quarta-feira passada, fui remediando e não escapei do baile sábado por um detalhe infame: era eu que tinha que tocá-lo!
    Cheguei ao fim com um risco de voz, apenas, passei assim o domingo, melhorei 1% na segunda e hoje, ja cheguei aos 10%. Mas a gripe, não dá trégua. Sábado e domingo é dupla jornada e eu vou pro fandango de novo, trabalhar...

    Um abraço e melhoras.

    ResponderExcluir
  2. Tenho duas coisas pra te falar:

    1- Que fique bom e as dores sumam.
    2 - A frase da vez é sua e foi tirada do comentário que deixou no post da Fê sobre o tempo.

    Quanto mais tempo eu fico longe daqui, mais coisas bonitas você anda dizendo!
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Bendita amigdalite que só resolve aparecer quando não queremos.
    Fica 100% logo.
    Beijão!

    ResponderExcluir
  4. Te citei lá no Traço a traço.

    bjo

    ResponderExcluir
  5. Veja pelo lado positivo: aproveite para economizar as cordas vocais. Irá precisar delas para comemorar o título brasileiro do tricolor gaúcho dentro em breve...
    Valeu Jr, melhoras!

    ResponderExcluir
  6. óum, tadinho! Isso tudo por causa do frio né? Mudanças climáticas são fatais pra garganta...

    Melhoras ;-)

    ResponderExcluir
  7. Eu imaginei que vc estivesse doente msm...
    pq vc tinha falado de chuva e na segunda nao estava no msn...
    mtooos outros bailes vêm (querem tirar esse lindo acento da palavra na regra nova. Me recuso!!! ¬¬) por aí e vc vai vestir a bombacha e vaii!
    :D

    ;****

    aproveitei pra ler tudo aqui
    ^^

    ResponderExcluir
  8. Só tu mesmo para descrever uma inflação na garganta dessa forma...
    Eu estou melhorando da minha alergia/inflamação na garganta só agora também, depois de uma semana de muita tosse e um pouco de catarro (eca!).
    Melhora pra nós!
    Bjitos!

    ResponderExcluir

<< >>