A volta

Ontem à tarde, estava eu lépido e faceiro saboreando um chimarrão delicioso preparado por mim mesmo, quando a campainha tocou. Ao atender, a surpresa: uma ambulância estacionada em frente à casa concretizava nossas preces das últimas semanas. Sim, meus caros, vó Dilma está de volta ao lar, após quase fazer companhia a São Pedro e os querubins que habitam o lado de lá.
Senti um misto de felicidade, susto, febre, hemoptise e suores noturnos (tá, os três últimos eu copiei do Manuel Bandeira). Entretanto, nada comparado à sensação de alívio em constatar que o pesadelo acabou. O vô Gentil ficou com a boca lá nas orelhas, mais faceiro que tico-tico na chuva.
Agora, finalmente, sinto-me apto a retomar de vez os textos normais, uma vez que obtive êxito nessa árdua missão. Aliás, se não fossem vocês, meus amigos, nada disso seria possível. Cada prece, cada palavra, cada gesto de fé em meu benefício foi fator determinante para que eu acreditasse sempre que tudo terminaria bem. Portanto, meus eternos agradecimentos pela solidariedade e carinho de todos, pois, como sempre digo, vocês ajudaram a salvar a vida da vó Dilma.
Aliás, por falar nela, contemplem a surpresa que eu havia prometido. Já escrevi demais num post que hoje é exclusivamente dela.
Como qualquer padre costuma proferir durante a missa, "eis o mistério da fé" (de nós todos).
Um grande abraço!

16 comentários:

  1. Nossa, foi emocionante ver o recadinho da vó, Antônio. Depois de todo o susto, de toda a preocupação, é maravilhoso perceber que nossas preces não foram em vão, e o quanto é importante ter fé em Deus!

    Tô muito feliz mesmo, pois esta volta só confirma o que eu sempre soube: que a vontade de viver dela é maior do que qualquer coisa. =]

    Um beijo carinhoso para os dois.
    E bem-vinda ao lar, vó Dilma!

    :*

    ResponderExcluir
  2. Que bom que sua avó está bem
    É a primeira vez que te visito, então não acompanhei a história, mas fico feliz que o desfecho foi bom

    Obs: Linda carta

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Que surpresa mais maravilhosa! Não pude conter os pêlos eriçados e a felicidade de poder ler as doces palavras da Vó Dilma.
    Deus é poderoso demais!

    ResponderExcluir
  4. Que bom que a Dona Dilma está em casa novamente. Como diz o ditado, depois da tempestade vem a calmaria e certamente a cada dia ela vai melhorar um pouco.

    Farei uma visita em breve certamente.

    Abraço primo velho e bom retorno Dona Dilma.

    ResponderExcluir
  5. Que querida!!! Muito lindo!
    E diz para ela que a letra não está feia! Minha vó que tem mania de sempre falar que a letra dela é feia.
    Adorei a idéia do recadinho!
    E não convide duas vezes, que quando eu for pro RS vou cobrar o churrasco mesmo. =P
    Beijo!

    ResponderExcluir
  6. êêêêÊÊÊ...

    Vó Dilma já tá em casa e tá até escrevendo recadinho pra gente!!!

    Vivaaaaa!!!

    Bjo pra tu e pra ela.

    ResponderExcluir
  7. Cara, confesso que to digitando, chorando e to todo arrepiado, tudo ao mesmo tempo!
    Se ler este bilhete da Vó Dilma faz muitíssimo bem para todos nós, que rezamos e torcemos a distância, imagino o que tu sente tendo ela aí, do teu lado, sã e salva.
    Foi muito emocionante ler este post, pois fizeram com a Vó Dilma exatamente o mesmo que fizeram quando meu pai voltou para a casa após o derrame: me pegaram de surpresa.

    Força e ótima recuperação para a Vó Dilma.

    Abração pra ti, meu irmão!

    ResponderExcluir
  8. Aiiiiiiii que liiiinda Antônioo!
    Uma fofa sua vó, quer dizer, A vó!!
    Ela mereceU todas as orações que fizemos...e que ainda estamos fazendo para que ela fique boazinha para correr na São Silvestre!

    Parabééns a ela pelo neto que tem, e a você pelo exemplo grandioso que tem na família!
    Que essa força seja passada à todos que visitam o seu blog e que assim a gente sempre esteja unido na fé e na esperança!

    um beijo enorme na vó!!

    outro pra vc! ;D

    ahh.. fala pra vó Dilma que a letra dela é liiiinda.. pra começar pelo H que ela fez lá em cima!!!!

    ResponderExcluir
  9. Antônio, passei daqui pra justamente perguntar como estava sua avó (não, não me esqueci dela) e vejo esse post adorável, feliz e engraçado - ri com seus sintomas ali e com o avô tico-tico!

    Que bom! Graças a Deus mesmo!

    E que coisa linda a cartinha escrita por ela! Uma fofa!

    Dá um abraço apertado nela por mim porque sou louca mesmo por avós, todos eles! E que ela continue melhorando, cada dia mais!

    Grande beijo pra vc também!
    Mi

    ResponderExcluir
  10. Ei, a vó Dilma falou com a gente, comigo, olha só. Achei o máximo essa conclusão, sabia?
    Não só pelo fato da sua avó estar melhor, mas por ainda receber cartinha de agradecimento pela torcida que levantamos daqui pela sua melhora.
    Bjitos!

    ResponderExcluir
  11. E agora eu já sei porque o Antônio é tão adorado, um cara do bem, também pudera com um exemplo de vó desse.
    Que bom que a vó Dilma está bem, quase 100%.
    Adorei as palavras dela.
    Beijão!

    ResponderExcluir
  12. ebaaa

    VÓ DILMAAAAAAAAA, BEM VINDA DE VOLTA!

    =*

    ResponderExcluir
  13. Nossa que legaaaaaaaal!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Que simpática! Amei!

    Bejus moço... tudo de bom.

    Tem meme pra você no blog, se quiser fazer.

    ResponderExcluir
  14. Me emocionei. Era isso que cada um que torcia pela melhora da vó Dilma estava esperando, que ela voltasse pra casa firme e forte! Tô muito contente Antônio! Mande mais beijos para ela por nós. Adorei a surpresa, mesmo!

    Um beijo, querido!

    Ps.: O romantismo precisa encontrar um abrigo dentro da gente, seja onde for [e seja por quem for]. O seu está guardado aí, em algum lugar. E eu sei porque de algum modo, você expressa-o. :)

    ResponderExcluir
  15. Antônio.

    Tenho certeza de que somos todos nós que temos que te agradecer por este momento (e que momento!) de emoção que a vó nos proporcionou. Não tem palavras que definam com clareza o misto de sentimentos que se formaram quando li a cartinha dela. E a vida nos prepara cada umaa..

    Um beeijo. E um abraço apertado na vó.

    :*

    ResponderExcluir
  16. POEMA

    "Eu hoje tive um pesadelo
    E levantei atento, a tempo
    Eu acordei com medo
    E procurei no escuro
    Alguém com o seu carinho
    E lembrei de um tempo

    Porque o passado me traz uma lembrança
    De um tempo que eu era ainda criança
    E o medo era motivo de choro
    Desculpa pra um abraço, um consolo

    Hoje eu acordei com medo
    Mas não chorei nem reclamei abrigo
    Do escuro, eu via o infinito
    Sem presente, passado ou futuro
    Senti um abraço forte, já não era medo
    Era uma coisa sua que ficou em mim
    E que não tem fim

    De repente, a gente vê que perdeu
    Ou está perdendo alguma coisa
    Morna e ingênua que vai ficando no caminho
    Que é escuro e frio, mas também bonito porque é iluminado
    Pela beleza do que aconteceu há minutos ou anos atrás"

    Feito pelo Cazuza e delicado pra sua avó

    e lindo...

    http://br.youtube.com/watch?v=Tfa8ww3NSmc
    vale um clic, viu!

    ResponderExcluir

<< >>