A VOZ DA CAVEIRA

Essa semana eu encontrei um vídeo no Youtube, onde um cara imita o Caetano Veloso na platéia do Altas Horas, na presença do próprio Caetano.
Após escutar a primeira frase dita pelo cara, ele interrompe dizendo: "isso eu gostei, esse negócio que parece que o nariz tá tapado (...)eu, quando falo, não ouço isso (...)porque a voz que a gente ouve dentro da caveira é diferente, né?".
E depois segue com o cara imitando, cantando, Caetano rindo e coisa e tal. Mas, como Antônio sempre pega certas frases e fica refletindo em cima, estava agora lembrando do vídeo e também de algumas coisas que as pessoas vêm me dizer, e pronto. Deu texto. =)
A questão é que nós não conseguimos ser espectadores de nós mesmos, de nossas atitudes, de nossas vozes, enfim, não nos vemos e nos escutamos da forma como todo o resto vê. Cada vez que assisto uma filmagem na qual eu apareço, tenho verdadeiro horror da minha voz, já que para mim ela tem um som bem diferente.
Por mais que tentemos agir de maneira a despertar uma determinada reação em alguém, não há como saber de que maneira isso será recebido pelo outro. E, puxa vida, que graça tem a vida nesse sentido. Acho simplesmente o máximo essa magia de você ser pego de surpresa por uma interpretação de alguém a seu respeito, totalmente diferente de tudo o que você pensa sobre si mesmo.
Às vezes eu penso que só falei besteiras, ou que uma atitude minha foi extremamente inoportuna e, de repente, o retorno de quem presenciou denuncia o contrário. Isso sem falar nos "sem querer" da vida, algo que canso de fazer. Jogar algumas palavras ao vento, conversar por conversar e, no fim das contas, alguém pescou uma baita reflexão lá no meio e melhorou o seu dia. Como o vídeo, por exemplo, duvido que Caetano pensasse que alguém pudesse refletir sobre frases tão simples ditas por ele.
Quando pensamos que nada tem sentido, que estamos aqui para nada, esses pequenos detalhes mostram o glamour e o mistério da vida. É aquela história do vôo da borboleta causar um tufão no outro lado do mundo (isso tem a ver com a Teoria do Caos, né? Não sei nada disso o.O).
Bah, acho que o vídeo do Caetano impregnou aquele jeitão dele filosofar nesse texto. Mesmo assim, creio que consegui me fazer entender. Não podemos nos furtar de agir, de falar o que pensamos e também de refletir nossos atos, já que tudo isso pode influenciar a vida de quem nos cerca de uma maneira totalmente diferente daquela que é a nossa real intenção.

Era isso. Bom fim-de-semana a todos!

0 comentários:

Postar um comentário

<< >>